domingo, 28 de setembro de 2008

Ufa!!!

O Rio Branco ensaiou um olé no Paysandu no final e quase se complicou.

No desespero, o goleiro da equipe de Belém abandonou o gol e foi tentar o empate, que daria - daria!!!! - a classificação para o time no octogonal da Série C.

A bola bateu na trave num desvio e sobrou para o goleiro, que chutou e um defensor do Estrelão salvou a pátria.

Foi um digno final de uma grande partida de futebol. Rio Branco classificado e o Papão eliminado no Acre.

Veja o vídeo que fiz, meio ruinzinho, mas dá para ver.


video

veja fotos da Arena e do jogo aqui
Paul Newman


Morre ‘O indomado’


Foi um dos meus atores preferidos na minha adolescência.


O outro foi Steve McQueen, da célebre cena do filme ‘Fugindo do Inferno’, quando atravessa a fronteira da Suíça voando numa moto.


Os dois fizeram, juntos, ‘Inferno na Torre’, filme que vi quando morava em Sena, ainda.


Paul Newman, segundo seus amigos, foi um homem sério, muito ligado ao automobilismo. Tinha uma equipe na Fórmula Indy, a Newman Haas.


Seus filmes mais badalados: ‘O indomado’, ‘Buffalo Bill’, Rebeldia indomável, Butch ‘Cassidy and the sundance kid’, ‘Exodus’, ‘A roda da fortuna’ e o mais recente foi ‘Carros’, a sua grande paixão. Além de outros sensacionais.


Vou usar o velho jargão, que sempre vale: o cinema ficou mais pobre com a morte de Paul Newman.


PS: Newman morreu de câncer aos 83 anos, na sexta, 26.

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Benjamim, a árvore de todos nós, na Pça 25 de Set.

Sena, 104


Para mim é muito difícil falar de Sena Madureira sem emoção...

Sena é como uma paixão, que arrebata você e vai te consumindo até você se entregar... ...Completamente.

Já disse outras vezes que Sena é a minha Itabira, embora eu, nem de longe, tenha o mesmo talento do cidadão mais nobre daquela cidadezinha mineira.

Nasci e vivi até os 17 anos no bairro da Pitombeira, na travessa José Barquet, numa casa de madeira, hoje desfigurada, mas que guarda ainda as linhas fundamentais e os pregos batido pelo meu velho pai Almir Bezerra.

A cidade está completanto hoje 104 anos. Não estarei lá! Não é feriado em Rio Branco, mas bem que poderia ser. No aniversário de Sena todo o Acre deveria comemorar com um feriado nos 22 municípios!

Sei que Sena vive dias conturbados por conta da eleição para prefeito. Tomara que a cidade saiba escolher o melhor para os próximos quatro anos.

Mas não me interesso por Sena somente em tempos de eleição. Suas raízes, seus cheiros, seus jeitos andam comigo por todo canto. Me perseguem...

Ultimamente ando pensando muito em Sena Madureira e quem lê este blogzinho sabe disso. Não sei o que vai acontecer com esses pensamentos todos sobre a minha cidade.

Acho que o maior investimento que Sena deve receber é na área cultural. A cidade precisa investir em cultura... Só assim terá chance nesses próximos 100 anos.

Confidências de um senamadureirense

Não! Sena para mim não é apenas um retrato na parade.

É lembrança, tristeza, e alegria dos dias

Em que joguei peteca [bola-de-gude]
, futebol

Com os amigos que hoje estão adultos
\\

De Sena eu trouxe tudo o que não tenho

Não trouxe gado, ouro, nem fazendas

Hoje sou professor e jornalista

Tenho filhos, esposa, e uma vontade louca

De transformar Sena numa Paris\\

E enquanto isso não acontece

A dor vem e se instala até não sei quando...

terça-feira, 23 de setembro de 2008


Voltou!!!



O sítio oestadoacre.com está de novo no ar depois de quase 12 loooooooongas horas fora devido a um problema no servidor, ou sabe-se lá onde...

O importante é que tudo está normal!

Você já pode acessar aqui
oestadoacre.com fora do ar!!!


O sítio www.oestadoacre.com está fora desde o começo da tarde de hoje por problemas no servidor de hospedagem.

Estou postando este aviso aqui porque, eu também, estou irritado com o problema que já dura algumas horas.

E estou sem paciência...!

Discriminação



Acredite, na Argentina ser chamado de 'boliviano', isso mesmo!, 'boliviano' é a mais nova maneira de ofender alguém.


O caso ocorreu nesse fim de semana durante um jogo de futebol.


Leia trecho da matéria do jornal boliviano que está escandalizado, com razão, com o fato.


E quem fez a presepada foi o árbitro da partida contra um dirigente esportivo que, revoltado, avisa que vai renunciar ao cargo.

...El máximo dirigente del club, Sebastián Roco, dejó su cargo luego de recibir insultos racistas por parte de Saúl Laverni, el árbitro del partido entre el 'Lobo jujeño' y Argentinos Juniors. -Renuncio. Dejo mi cargo porque no quiero seguir más en el fútbol mientras [enquanto] Laverni siga dirigiendo. Él nos trató de bolivianos", disparó enfurecido el Presidente. [fonte: eldeber]...

Inacreditável!

domingo, 21 de setembro de 2008


Netinho em Sena
[vídeo]

São Pedro combinou com os organizadores do show de Netinho e só abriu a torneira para valer mesmo quando o relógio marcava 3h da madrugada deste domingo. O que deu tempo suficiente para as milhares de pessoas se esbaldarem ao som de 'Mila' e outros sucessos do artista baiano.

Netinho deu uma canja de 'Mila' antes de subir ao palco, veja e ouça:


video

Veja mais fotos aqui em oestadoacre.com

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Fala, Fidel

Num artigo intitulado “O papel de bom, à custa de quem?”, divulgado na quinta-feira (17), Fidel Castro destaca que quando o governo dos Estados Unidos ofereceu US$ 100 mil como ajuda frente à catástrofe ocasionada pelo furacão Gustav, com prévia inspeção no local para comprovar os estragos, foi-lhe respondido que Cuba não poderia aceitar doação alguma do país que a bloqueia.

Leia abaixo a íntegra do novo artigo, reproduzido pela Agência Prensa Latina:


O papel de bom, à custa de quem?


Quando o governo dos Estados Unidos ofereceu hipocritamente US$ 100 mil como ajuda frente à catástrofe ocasionada pelo furacão Gustav com prévia inspeção no local para comprovar os estragos, foi-lhe respondido que Cuba não poderia aceitar doação alguma do país que a bloqueia; que os estragos já tinham sido calculados e o que reclamávamos era que não fosse proibida a exportação dos materiais indispensáveis e os créditos associados às operações comerciais.
Alguns no Norte se esgoelaram gritando que a rejeição de Cuba era inconcebível.

Quando o Ike poucos dias depois açoitou o país desde Punta de Maisí ao Cabo de San Antonio, os vizinhos do Norte foram um pouco mais hábeis. Amenizaram a linguagem. Falaram de aviões prontos para partir com produtos no valor de US$ 5 milhões; que não teriam a necessidade de serem avaliados, porque já o haviam feito por seus próprios meios, que não podem ser outros que os de espiar o nosso país. Desta vez sim, pensaram, que poriam a Revolução em aperto; se atreveriam a recusar a oferta, buscariam problemas com a população? Talvez pensaram que ninguém havia visto as imagens divulgadas pela televisão dos Estados Unidos quando as forças de ocupação da ONU distribuíam alimentos no Haiti à população faminta que os disputava através de uma cerca de arame farpado, dando lugar inclusive a crianças feridas.

A fome nesse país é fruto do saque histórico e sem piedade dos povos. Ali mesmo, em Gonaïve, nossos médicos arriscavam sua vida assistindo à população dessa cidade, bem como o fazem em quase cem por cento dos municípios dessa nação. Essa cooperação prossegue ali como em dezenas de nações do mundo, apesar dos furacões. À nova e astuta nota foi respondido categoricamente que: “nosso país não pode aceitar uma doação do governo que nos bloqueia, ainda que está disposto a comprar os materiais indispensáveis que as empresas norte-americanas exportam aos mercados, e solicita a autorização para o fornecimento dos mesmos, bem como dos créditos que são normais em todas as operações comerciais''.

“Se o governo dos Estados Unidos não o deseja fazer definitivamente, o de Cuba solicita que ao menos o autorize durante os próximos seis meses, especialmente se levam em conta os estragos ocasionados pelos furacões Gustav e Ike, e que ainda faltam os meses mais perigosos da temporada ciclônica”.

Não foi feita com arrogância, porque não é o estilo de Cuba. Na própria nota pode-se apreciar como se expressava com modéstia a idéia de que para nós bastava que a proibição fosse suspendida por um limitado período de tempo.

O secretário de Comércio dos Estados Unidos, Carlos Gutiérrez, descartou na sexta-feira (12) que o bloqueio fosse levantado de forma temporária.

É óbvio que o governo desse poderoso país não pode compreender que a dignidade de um povo não tem preço. A onda de solidariedade com Cuba, que abarca países grandes e pequenos, com recursos e até sem recursos, desapareceria no dia em que Cuba deixasse de ser digna.

Equivocam-se rotundamente os que em nosso país se desagradem por isso. Se em vez de cinco milhões fosse um bilhão, encontrariam a mesma resposta. O dano em milhares de vidas, sofrimentos e mais de US$ 200 bilhões que custaram o bloqueio e as agressões ianques, não podem ser pagas com nada.

No relatório oficial parcial foi explicado ao povo que em menos de dez dias o país havia sido afetado em mais de US$ 5 bilhões. Mas também foi explicado que essas cifras eram a preços históricos e convencionais, que nada tinham que ver com a realidade. Não deve ser esquecida nunca a explicação bem clara de que “os cálculos das perdas em moradias são sobre a base de preços históricos e convencionais, e não os valores reais a preços internacionais. Basta assinalar que para dispor de uma moradia duradoura que resista aos mais fortes ventos, requer-se um elemento indispensável que escasseia muito: a força de trabalho. Esta é igualmente necessária para um conserto temporário como para uma construção duradoura. Dita força tem que ser repartida em todos os demais centros de produção e serviços, alguns significativamente afetados, pelo o que o valor real de uma moradia no mundo e a amortização do investimento correspondente é muitas vezes maior.”

O golpe da natureza foi contundente, mas também é alentador saber que não haverá trégua nem descanso em nossa luta.

A crise econômica que atinge os Estados Unidos, e como conseqüência os demais povos do mundo, não tem resposta definitiva; no entanto, sim a têm os desastres naturais em nosso país e toda tentativa de pôr preço a nossa dignidade.

[Fidel Castro Ruz]

quarta-feira, 17 de setembro de 2008


Crise global


No enbalo da crise no setor financeiro e imobiliáro dos EUA dois comentários rápidos:


1 - Em outros tempos - de FHC, Sarney, Collor - o Brasil já estaria mergulhado até o fundo nessa crise que já está sendo considerada a maior desde 1929.

2 - Nada como o Estado para amparar os liberais em tempos de crise no sistema financeiro. A viúva norte-americana está vendendo até as calças para segurar a turbulência\falência\concordata dos seus bancos.

É a terra do Capitalismo [decadente] precisando da mãozinha do Estado.

domingo, 14 de setembro de 2008




Domingo na Pêra

Estado de Sítio na Pêra


A direita incendeia a Bolívia contra o governo legal de Evo e a bandidagem carente sitia a Rua Pêra, no Morada do Sol, a três minutos do centro.

Demos sorte que a polícia apareceu na hora H, ou na hora P, de Pêra. A cena aconteceu nesta manhã de domingo.


Ah, as condições da Rua Pêra não são das melhores. Dá para ver.


PS: a casa da foto é de propriedade de um dono de supermercado.

sexta-feira, 12 de setembro de 2008


Cobija



A ilha incendiária da Bolívia, a pequena Cobija, encravada ao lado do Acre, protagoniza a resistência da direita local contra o governo legal do presidente Evo.

A direita boliviana quer uma bandeira contra o governo e por isso radicaliza querendo sangue, mais sangue.

Calma, Evo.

quarta-feira, 10 de setembro de 2008


Para não perder...



...O momento.

A Bolívia literalmente tirou o gás do Brasil. Devido à pressão da direita em cima de Evo o fornecimento do produto foi reduzido em 10%. O país está em guerra civil, praticamente.

Evo tem o apoio dos sindicatos e a classe média inteira está contra ele. A COB está pedindo 'moderação' ao presidente.

E agora à noite também o Seleção do Dunga não teve gás para vencer a Bolívia, que jogou quase o tempo todo com um a menos.

O bom de hoje: a Bolívia mandou o embaixador dos EUA arrumar as malas.


Ronaldinho de Sena


Veja se parece ou não...

Ele fez pose ainda.

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Oxigênio de Dunga

Vale a pena ler o texto do Olé, de Buenos Aires.

Bailó el Lula Lula



Después de las críticas del presidente, Brasil despachó a Chile, salvó la cabeza de Dunga y alcanzó a Argentina en la tabla. ¿Bielsa? Quedó fuera del repechaje...

Luis Fabiano integró uno de los mejores Sevilla de la historia y anoche ni necesitó estar de frente al arco para abrir el resultado. Suazo es un buen goleador que juega en México, pero esta vez falló una de esas chances que van derechito a goles errados que hacen historia. Lucio es, según Basile, uno de los mejores zagueros del mundo, acompaña a Demichelis en el Bayern Munich y sacó todo lo que le pasó cerca. Estrada es una apuesta de Bielsa que juega en la U de Chile y va a soñar con su derrotero de ayer. Ronaldinho puede estar rellenito y fallar un penal, pero descarga presiones de sus compañeros al ser el centro de insultos y silbidos de todo un estadio. Matías Fernández ilusiona con su técnica pero al mismo tiempo desconcierta con sus decisiones.

Mientras el fútbol sea fútbol, lo van a ganar los jugadores. Y por historia, presencia, jerarquía y camiseta, los jugadores de Brasil no van a permitir un Mundial sin su selección. Y los de Chile van a tener que lucharla a brazo (y ataque) partido...

No hay dudas de que Bielsa jamás va a transar su estilo y por eso puso cinco hombres de ataque por más que enfrente estuviera ese león que aún herido como llegó es un peligro tremendo. Brasil le ganó como se ganan estos partidos importantes: con juego, amor propio, liga y oportunismo. También porque no se comió ningún vidrio. Entonces, cuando expulsaron a Kleber al minuto del segundo tiempo, Dunga sacó a Ronaldinho, puso a otro lateral y se bancó los pucheritos del 10 en el banco. Fue acertada la decisión del criticado entrenador porque Ronnie no podía marcar a ese Alexis Sánchez que a veces da la impresión de que se
va a eludir él solo cinco veces en la misma jugada y así nadie gana un partido.

Armó un equipo para atacar Bielsa, pero no tiene un Luis Fabiano, un Robinho y ni a esta especie de hermano de Ronaldinho. Por eso, el jogging del Loco tendrá sesiones extras de 100 veces no debo.

La rompió Luis Fabiano, apareció Robinho, marcó territorio Lucio, fueron serios todos y Brasil, el que estaba a los abrazos con el infierno, ya está igual que Argentina. Y las camisas de Dunga se siguen bancando la que venga.

¿Habrá dedicatoria para el presidente Lula?


Minha opinião: Com todos os problemas ainda prefiro ao Dunga técnico do Brasil do que o mascarado e complicado Luxemburgo e seus negócios.

sexta-feira, 5 de setembro de 2008


Waldick Soriano em Sena

Na década de 70 o então badalado cantor e compositor Waldick Soriano, depois de fazer show na capital, esticou a turnê até Sena.

No município Waldick foi bem recebido, tomou umas, duas, e outras num dos antigos bares da Praça 25 de Set. Tudo ia bem...

...Até que aparece uma pessoa conhecidíssima da cidade e foi levar um lero com o cantor.

Waldick já ficou invocado com recém chegado. E perguntou:

-Quem é você?

-Eu sou o V. H. A. B.

Waldick não resistiu e respondeu:

-Grande mer.....!

A piada correu a cidade em cinco minutos e perdurou por várias décadas.


Waldick, aos 76, morreu na quinta, 4, no Rio de Janeiro, vítima de câncer na próstata.


Ouça aqui os seus maiores sucessos.


[PS: VHAB também já faleceu]

quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Sena

Três momentos [vídeos]


A passeata e o comício de sábado, 30\8, mexeu com a cidade e o Estado. Os quase 10 mil que estiveram nas ruas apoiando a chapa Nilson\Jairo foram notícia em todo o Acre como o maior evento político desta campanha eleitoral.

Sena mostrou que pode influir mais no poder acreano.

É só fazer as coisas certas.


video

Apagando a velinha...parabéns!


video

Discurso do governador Binho...trecho


video

Discurso de Nilson Areal...trecho

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Sena

Os números do IBGE


Sena Madureira continua sendo a terceira cidade do Acre com 35.544 habitantes.


A primeira, claro, é Rio Branco com 301.398 e a segunda é Cruzeiro com seus 76.392 hab.


Depois:


Tarauacá, com 33.368


Feijó, 32.210


A menos populosa é Santa Rosa, com seus 4.165 moradores.